Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008
Importante

Um relógio marca dez e meia da noite com os seus ponteiros verde florescentes, num quarto grande decorado com cores marinas parecia que estávamos no fundo do mar ou muito perto do céu. Numa grande poltrona azul turquesa,  uma cama verde água, uma grande secretária azul clarinho onde estava um relógio de pulso azul.

Sentada na cama já de pijama vestido penso como é aborrecido ter de nos deitar, seria muito melhor estar com os amigos.

Olho fixamente para o relógio, o senhor do tempo, se ele me ouvisse. Poderia dizer-lhe para andar mais rápido à noite e descansar durante o dia.

Nunca , nunca será possível que ele me ouça, afinal se eu o adiantar o sol não nasce mais depressa.

Desvio o olhar do relógio indefeso. Já deitada na cama olho para a lua do lado de fora da janela e reparo numa coruja branca que parece sorrir-me.

_ Será que ela me ouve? Se calhar lê os meus pensamentos! -pensei.

Não, não é possível, já estou a sonhar. Que estranho, olhando melhor para a coruja, os olhos são castanhos e levemente esverdeados, parecem de um ser humano. Estou mesmo a dormir!

Num bater de asas a coruja levantou voo. Eu adormeci.



publicado por bobone1 às 09:39
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim
.Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Auto da Barca do Inferno ...

. Hoje

. Leitura

. O Medo do Anjo

. Medo

. Solidão

. Rotineiro

. Poema

. Poema

. Trilogia da Erança

.arquivos

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.links
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds